My Moments
Loading...
Click here to create your own QuitSmokingCounter.com
Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2015

Crise dos 40 - Uma "breve" reflexão

Acho sinceramente que existe.

No entanto, precoce como sou, tive-a à beira dos 30.

Mas k raio é isto da crise dos 40?

Antigamente traduzia-se num quarentão barrigudo e de grandes entradas, a arranjar uma gaja mais nova e a largar a mulher em casa, com os filhos, zarpando todas as noites p ir à sua vidinha com a garota nova, escudando-se em reuniões tardias e horas extraordinárias extra-ordinárias. A coisa podia ou não dar em divórcio, consoante a esposa do dito cujo. Havia as que n sabiam, as k sabiam e calavam (fingindo n saber), as que sabiam e reclamavam mas amochavam pk não tinham como sair do casamento e havia as k chutavam o balde e mandavam os maridos p o raio k os partisse (normalmente era a cenaita da gaja mais nova, até pk n havia viagra na altura).

Ultimamente, à mha volta, tenho presenciado imensas separações e divórcios. Malta na ordem dos 20 anos juntos. Filhos adolescentes e pré-adolescentes. Maioritariamente são elas a tomarem A decisão. 

Deu-me para refletir sobre isto. Pk nesta idade?? Os 40

A história do meio da vida, da entrada na curva decrescente??? Sabemos lá nós onde está o meio!!

Conclúo basicamente k é o resultado de um balanço, de uma reflexão à qual chegamos por fatores mto diversos. A saúde k prega sustos, uma paixão súbita, uma perda próxima, o crescimento dos filhos, o divórcio/separação de alguém próximo ou, pura e simpesmente, a inconfomidade com a letargia que tomou conta da própria vida sem se saber muito bem como, nem porquê.

Ao k parece, na maioria dos casos é por volta dos 40. Eu menina precoce... foi aos 28/29. Resume-se numa pergunta:

MAS A VIDA É SÓ ISTO????

Kem casou na casa dos vintes, pelos 40 já divide a vida com a mesma pessoa há cerca de 20 anos, mais coisa menos coisa. Ora vejamos: 20 anos é uma vida. Quem é que permanece 20 anos igual?? Ninguém.

Quem eu era há 20 anos, nada tem a ver com o que sou hoje. Ora, se multiplicarmos isso por 2 e se considerarmos uma mudança divergente, 20 anos dá para terminarmos em hemisférios opostos.

Imaginemos um gráfico com 2 linhas paralelas. A certa altura essas 2 retas divergem 1 milionésima por dia. 20 anos depois elas estão longe uma da outra...bem longe. E kdo se dá conta disso é uma merda. Pk aí tentamos recuperar a posição. É a fase do "vamos tentar" k tb é uma bela merda. Vêem os fds românticos, os jantares à luz das velas, os ramos de flores e a lingerie sexy mas, na realidade, o k se ker é estar a léguas dali pk tudo parece akele jogo do "bate pé" kdo nos calhava dar um xoxo ao gajo k não gostavamos. E tudo akilo parece forçado e parece fazer a nossa reta afastar-se ainda mais da dele ou dela. Nada dakilo é real e mm kdo as coisas parecem melhorar, a duração é de mto curto prazo. Depois, normalmente nesta fase, o k se pretende é mudar o k o outro n gosta no novo EU e vice-versa. Ora foda-se, se é um novo EU e se EU sou EU pk raio é k vou mudar??? Se vou mudar o EU, deixo de ser EU e isso está condenado ao insucesso logo à partida.

Como eu disse a certa altura, numa das conversas mais importantes que tive com a minha filha: eu posso fingir que não tenho olhos azuis. Posso tapá-los e usar umas lentes castanhas por cima mas isso fará apenas com que eu tenha umas lentes castanhas, não fará com que tenha olhos castanhos. A realidade é que terei sempre olhos azuis. Porque raio é que eu tenho k usar as lentes castanhas p k os outros gostem mais de mim??? Eu gosto de ter olhos azuis. E ter olhos azuis não prejudica ninguém, que eu saiba. Quem não gosta está no seu direito mas, da mesma forma que respeito essa opinião, EU tb devo ser respeitada.

A verdade é que uma partilha de vida a 2, no conceito de casamento e de convivência próxima e diária, é uma trabalheira brutal. É uma luta constante pela manutenção de equilíbrio da balança enquanto a toda a hora e a todo o instante existem fatores externos que colocam pesos diferentes em ambos os pratos.

A minha relação mais longa durou cerca de 12 anos. Não sei o que acontecerá no futuro. Sei que dificilmente me casarei de novo. Não me faz sentido casar. Quero uma relação livre onde, quem está, está por ser esse o seu desejo e vontade. Pk assim está bem e está feliz. E no dia em k assim n for, k se parta sem nenhuma amarra para além da saudade do passado bom k se viveu. 

Até k me provem o contrário acredito que existe 1 vida. Nessa vida nem tudo é perfeito mas devemos fazer tudo o k está ao nosso alcance para ser feliz, tendo a certeza que nada do k escolhemos é perfeito. A perfeição, à semelhança da felicidade,  é uma utopia. É uma busca incessante, um caminho a percorrer sem nunca o terminar.

À malta que está prestes a fazer o balanço, apenas um aviso:

É fácil, mto fácil cair no erro de olhar apenas para o k não se tem. E se assim for, nada do k temos faz sentido estar na nossa vida pk lhe falta A,B,C... X, Y, Z e mais uns 500. O copo pode estar meio cheio ou meio vazio. Tudo depende da forma como olhamos p ele. Certo é k, se o olharmos meio vazio... ele vai vazar num ápice!!

: How long will I love you - Ellie Goulding
Estrunfina às 22:37
Link | Comentar AKI

Creative Commons License
Estrunfinices by Estrunfina is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Últimas Estrunfinices

OBRIGADA!!!

Por fin...

Catarse!!!

Nem mais!

Há coisas do caraitas!!!

4655 Dias de TI

RESPECT!!

A primeira aula da manhã

Suspiro FUNDO

Quer-me cá parecer que...

Baú das Estrunfinices

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Aldeia dos Estrunfes

O Divino em MIM

 

A MINHA FILHA.  O calor do sol a keimar o corpo num dia de praia. Um mergulho de mar ao luar.  Os sorrisos.  Morangoska granizada. Akela música, no momento certo.  Andar descalça sobre a relva.  O cheiro da terra molhada.  Dream Team Forever Marés vivas num dia de Inverno.  O nascer de um novo dia.   Akele olhar.  Chamusca.  Pego Escuro. Correr na praia e espantar as gaivotas.  Um sussurro k faz bater forte o coração.  O suspiro da minha filha kdo dorme.  A saudade. Gargalhadas.  A gargalhada dela.  Licores.  Avistar Lisboa da Ponte 25 de Abril.  Gelado de Dolce de Leche.  Os ABRAÇOS k transbordam a alma.  O microfone. Quando os meus alunos "Conseguem".  Andar de mão dada. Cócegas.  "AMO-TE".  Petiscadas.  A atracção.  Ilha deserta.  Sentir a minha filha dentro de mim.  Dançar.  Pasteis de Nata.  O carinho de ex-alunos. O silêncio.  O céu estrelado de uma noite quente no Alentejo.  As minis à varanda, a ver o mar. DREAM TEAM FOREVER.  O carinho da família.  Banho de mar "em pêlo".  As bolachas da mana.  A fogueira da Praia Verde.  Ver a minha filha aprender algo novo. Porto Novo.  Rir até chorar. Serra de Sintra.  Os primeiros passinhos.  Ver raios de sol "furarem" o céu nublado.  AMIG@S.  Ouvir o bater do coração.  Olhar nos olhos.  Vimeiro.  Uma massagem.  Cheirinho a casa limpa.  Golo de Portugal. O Guadiana.  Orgasmo.  Ver o pôr-do-sol sabendo k ele nasce noutro sítio ao mesmo tempo.  Amamentar.  O céu azul.  Noite quente à beira Tejo.  Papoilas.  Cheiro a maresia.  Sardinhas assadas.  Alcançar.  O brilho do sol reflectido na água.  Gaivotas.  Fazer amor na praia.  O cheirinho k fica na roupa dela .  Acordar.  Fazer "Koys" enroscadinha a ela debaixo do edredon.  Cataplana de Lagosta.  A minha filha bébé adormecer sobre o meu peito enkto mexia na mha orelha.  Lua Cheia.  Panquecas às 3 da manhã.  O Cristo Rei.  O cheiro da pele depois de fazer amor.  A casca do pessego.  A "minha" estrela.  O toke. Pistacios.  Correr com ela na praia.  As boas conversas.  Girassóis.  Concertos dos Bon Jovi. Chorar até tirar o peso do peito.  Cantar.  Coca-cola.  Rezar.  Guincho. Todas as "Good Nights".  Margarita de morango a meio da tarde na esplanada do Siesta.  Frio na barriga. Orgulho.   Dormir numa cama feita de lavado.  Beijo com língua.  Golo do Benfica.  Uma garrafa de Grandjó geladinha.  A primavera no Alentejo.  Lareira.  Póvoa Dão.  Voar.  A carta certa num jogo de Poker.  Jantar à luz das velas.  Caracóis.  Ganhar no último minuto.  Uma viola, uns acordes e amigos. Beijos no pescoço.  O 1º "Mamã".  Ver a balança a baixar.  Um cigarro ao luar.  Cheirar protector solar no Inverno.  Bolas de sabão. Fazer mergulho.  Trovoada de Verão numa noite à beira mar.  O 1º beijo.  Banho de espuma e pétalas, música certa e luz de velas. Dormir a sesta.  Lisboa à noite vista do ar.  Ramos de rosas.  Ferreira.  O sabor da água salgada na pele.  Ouvi.la cantar a plenos pulmões quando vai à pendura na mota. O vôo da cegonha.  Os jogos em "Miami Beach".  APRENDER.

 

 

 

blog1