Terça-feira, 2 de Agosto de 2011

"O" Concerto da Minha Vida

A primeira vez que vieram cá foi em 1989. Concertos em Estádios eram coisa inexistente e actuaram p 7000 pessoas no Pavilhão do Dramático de Cascais, Já eu era fanzérrima na altura. Apesar de gadelhudos, eram os mais lindos de todos, ligeiramente à frt dos Europe e do George Michael. 

Tinha na altura 14 anos. Sabia lá eu de ké k gostava!!

Passarma mais de 20 anos. Hoje sou uma mulher, mãe, GAJA k sabe o k gosta.

Gosto deles...MUITO!! A música deles foi banda sonora da minha vida ao longo de quase 30 anos. Dancei, pulei, cantei, gritei a plenos pulmões, chorei e suspirei ao som deles.

Todos os concertos k deram em Portugal foram memoráveis. Quando era teenager achava k eram o máximo pk gostava deles. Hoje, e depois de já ter assistido a muitos concertos, de muitos artistas, posso dizer que eles são o melhor que já vi, tentando, nesta análise, ser o mais imparcial possível. 

Não houve 1 único concerto que não tenha gostado. No velhinho Estádio de Alvalade, vi.os da bancada mas vibrei como se estivesse na relva. Um dos concertos, foi na véspera da prova de aferição que definia a mha entrada no ensino superior: Fuck it!! Sobrevivi e o curso tá tirado, isso é k interessa.

O concerto do Rock in Rio tinha sido, até ontem, "O" concerto da minha vida. Tinha sido uma espécie de aperitivo do que ontem vivi.

Talvez por isso quando sugeri comprar bilhetes de 85€ para o Golden Circle e as malucas que possivelmente me acompanhariam começaram a apontar que nem perdigueiros para a VIP Experience de 250€ eu tenha começado a considerar.

Lá está: Prefiro arrepender-me do que fiz, a passar uma vida inteira arrependida do que não fiz.

E depois de meses e meses a olhar p o bilhete na porta do frigorífico, ontem foi o dia de lhe dar devido uso.

Nos útlimos 2 dias, uma espécie de nervoso miudinho apoderou.se de mim. Nunca tal me tinha acontecido em nenhum dos concertos deles.

Kiz o destino k a minha companhia ao longo de toda a experiência fosse a amigona de infância, com kem partilhei a paixão pelos Bon Jovi desde o início e com quem passava tardes inteiras em casa da amiga de infância nº2, a ver vídeoclips deles, gravados do Final Countdown, com o Adam Curry, e a fazer pause/play (nakilo k mais tarde ficaria conhecido como slowmotion), durante os close ups do bonzão do John.

Toda a manhã cantarolei, cantei e berrei Bon Jovi p algum desespero de quem estava cá em casa. A mha filha olhava-me de uma forma estranha mas compreensiva, demonstrando k n reconhecia a sua mãe por akelas bandas mas k nutria compaixão pela teenager k por ali saltitava.

Quando saí de casa p ir buscar a mha "avioneta" foi altura de soltar a roqueira em mim e com o auto-radio a bombar fiz-me à A5 como gente grande. Só no Jamor é k percebi pk é k o carro n estava a desenvolver como eu keria: eu ía em 3ª e n em 5ª. Whatahell... o k interessa é a musica alta e pulmóes ao rubro: You give love a bad name!!

Viagem de regresso a Lisboa, já em dueto: Lay your hands on me, Lay your hands on me, Lay your hands on me.....

Paragem em casa. Organizar a mochila. Retocar guarda roupa. Sigaaaaaaaa....

O destino era o parque de estacionamento do Pingo Doce da Bela Vista de onde apanharíamos o transfer VIP p o recinto (esta informação será de extrema importânca mais à frente).

Extraordinariamente, e mesmo sem nunca lá termos ido, foi certinho e direitinho. Carro estacionado, n dávamos com o transfer e, tendo em conta os níveis de adrenalina, a curta distância e o adiantado da hora decidimos k o melhor era mm irmos andando p lá em vez de andarmos À procura do transfer.

Assim k chegamos, perdemos a esperança de conhecermos as únicas 5 pessoas k tinham comprado bilhetes p o Diamond Ring. Na nossa santa ingenuidade, contámos apenas com os portugueses e nem seker nos tinhamos lembrado das grupies. Kdo cmeçamos a topar japonesas, americanas, russas e por aí fora começámos a ganhar noção desta coisa gigantesca k é uma banda deste calibre.

Whatever... venham elas k nós damos conta.

Já com VIP Pass e pulseirinha posta esperámos alguns minutos e tivémos acesso à tenda Vip onde decorreria uma festa noite fora com catering e bebidas. Nós nem parámos p ver. Passámos k nem flechas e fomos marcar o nosso spot. Impossível ficar na grade mas confesso k a grade me estava preocupar pk eu só pensava k, ver o concerto da grade iria ser mais ou menos o mm k ver a Torre Eiffel estando debaixo dela. Iría perder a noção do geral.

O spot conseguido foi a sensivelmente 2m da grde e k já me deixava ver a bateria do Tico e as teclas do Bryan. À nossa frt, umas japonesas e umas americanas, encarkilhadas, com idade p serem nossas mães (uma já tinha visto 32 concertros desta tournee a outra 18).

Spot dominado e controlado, ânimos mais calmos... altura p ir lá acima buscar bebidas. Foi só aí k percebi k poucos VIPs tinham conseguido passar e ainda n estavam autorizados a descer p junto do palco. As bebidas podiam esperar mais um pouco pk, o risco de lá ficar eu n iria correr.

Bottom line... grande spot, free drinks e great bathrooms... Havia comidinha, é um facto mas, n conseguia mastigar nada mais p além da pastilha, k furiosamente esmagava com os meus maxilares. Pena pk havia chefs a prepararem massinhas e saladas de aspecto delicioso.

 

 Nós, gajas de gosto refinadíssimo, fomo-nos revezando e, tendo em conta a tarde quente que estava, íamos trazendo disto

 

  Tivémos que fazer uma gestão minuciosa da quantidade. O álcool não era o k nos preocupava mas, sabíamos k apartir de determinada altura, o spot teria k ser defendido com unhas e dentes e já não poderíamos abandoná-lo e acabámos por n levar as Lindor como ainda nos tinha ocorrido numa fase pré-concerto.

In the meanwhile ainda houve tempo p encontrar as primas e dar uns dedinhos de conversa. As maganas acabaram por ficar noutro spot do Diamond Ring.

Anyway... depois dos Red Lizzard terem tido orgasmos múltiplos por estarem a tocar para mais de 50 000 pessoas sem k praticamente ninguém tivesse ouvido falar deles, e dos Klepht me terem provado k até conhecia 2 musicas deles, chegava o momento.

Fazendo juz ao seu  profissionalismo, começaram o concerto 15m depois da hora marcada, logo depois de ter berrado um "João, anda daí!!" e, apartir desse momento, n há palavras k consigam espelhar claramente ou remotamente todas as emoções k senti.

Vê.los ALI, à mha frt, como sonhei kdo era teenager... uauuuuu!!!

Os ecrans eram meras distracções pk ELES ESTAVAM TODOS ALI. ALIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII...

 

 

E ele continua tãoooo lindoooooooooo e canta tão bem e eu fico tão parva.

E depois... Durante o "In These Arms" aconteceu. Eye contact e alguns segundos k p mim pareceram uma eternidade em k ele cantou a olhar p mim, directamente p mim. Tremi dos pés à cabeça, sorri com a alma toda e gritei um. EU AMO-TE, pleno de estupidez e imaturidade teenager.

EU AMO-TE?!?!?!? EU AMO-TE?!?!?!?!?!? k estupidez!!!!!!!!!!!!!!! Kto mto um "I Love You" ou um "Faz-me um Filho", agora um "Eu amo-te"...WTF?!??!?!? Isto acabou por provar k a mha idade ontem regrediu, no mínino, 20 anos.

Assim k esses intermináveis 6 segundos terminaram, tive um moche de um argentino k só repetia: Te hay mirado!!! Te hay mirado!!!

Depois, passei os 20 minutos seguintes a tentar perceber se estava a ter uma crise de Parkinson, se estava com frio ou se estava parva por ter articulado estupidamente um Eu AMo-te a um gajo k n percebe um boi de português.

 

Anyway... 3 horas de "Magnífico" e n sei k mais dizer. 

 

 

Custa-me acreditar k só lá estivessem 56 mil pessoas pk n se via  um espaço livre em toda a Bela Vista e no Rock in Rio a lotação é de mais de 80 mil pessoas mas, se eles dizem...

Pensava eu k me iria escapar com umas lagrimitas ligeiras ao com de "It's hard letting you go" e mais umas ktas ao som de "This Ain't a Love Song", os gajos lixam-me por completo e espetam com o "Always". E pronto!!

Adiante!!

Passadas 24h, a adrenalina ainda está ao rubro como se fosse um interruptor que avariou e ficou ali.

Tenho a certeza k o dia de ontem fará parte dakele medley final de flashes "Best Off da Vida".

Estaria arrependidíssima de não ter feito esta viagem tal como ela aconteceu por isso, SIM, valeu MUITO a pena.

 

WE MADE A MEMORY

 

 

Ali, entre as perninhas do John e do Richie (salvo seja), atrás do italiano de braços no ar e t'shirt preta, vê-se o meu cachecol de Portugal. Parte de mim, na foto oficial do final da Circle Tour - UAUUUUUUUUUUU!!!!!!!!!!!!!!!!!

Estrunfina às 00:24
Link | Comentar AKI
1 comentário:
De Saltita a 2 de Agosto de 2011 às 19:27
Excelente descrição de um dos melhores momentos das nossas vidas. Apesar de não estar ao pé de ti por razões estratégicas, estive sempre lá contigo. Eu sabia que ele ia passar junto à grade depois de cantar lá no meio. O que eu nunca pensei foi que ele se baixasse (graças ao grito de uma gaja que não fui eu), olhasse para mim e eu tivesse a capacidade de articular uma frase (em inglês), à qual ele reagiu com um aceno e um sorriso que só ele sabe dar. Foram segundos vistos num video qualquer do youtube, mas que mostram como um segundo pode ser muito mais do que pensamos. Realizamos um sonho. Juntas. Always.


Comentar post

Últimas Estrunfinices

OBRIGADA!!!

Por fin...

Catarse!!!

Nem mais!

Há coisas do caraitas!!!

4655 Dias de TI

RESPECT!!

A primeira aula da manhã

Suspiro FUNDO

Quer-me cá parecer que...

Baú das Estrunfinices

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Aldeia dos Estrunfes

O Divino em MIM

 

A MINHA FILHA.  O calor do sol a keimar o corpo num dia de praia. Um mergulho de mar ao luar.  Os sorrisos.  Morangoska granizada. Akela música, no momento certo.  Andar descalça sobre a relva.  O cheiro da terra molhada.  Dream Team Forever Marés vivas num dia de Inverno.  O nascer de um novo dia.   Akele olhar.  Chamusca.  Pego Escuro. Correr na praia e espantar as gaivotas.  Um sussurro k faz bater forte o coração.  O suspiro da minha filha kdo dorme.  A saudade. Gargalhadas.  A gargalhada dela.  Licores.  Avistar Lisboa da Ponte 25 de Abril.  Gelado de Dolce de Leche.  Os ABRAÇOS k transbordam a alma.  O microfone. Quando os meus alunos "Conseguem".  Andar de mão dada. Cócegas.  "AMO-TE".  Petiscadas.  A atracção.  Ilha deserta.  Sentir a minha filha dentro de mim.  Dançar.  Pasteis de Nata.  O carinho de ex-alunos. O silêncio.  O céu estrelado de uma noite quente no Alentejo.  As minis à varanda, a ver o mar. DREAM TEAM FOREVER.  O carinho da família.  Banho de mar "em pêlo".  As bolachas da mana.  A fogueira da Praia Verde.  Ver a minha filha aprender algo novo. Porto Novo.  Rir até chorar. Serra de Sintra.  Os primeiros passinhos.  Ver raios de sol "furarem" o céu nublado.  AMIG@S.  Ouvir o bater do coração.  Olhar nos olhos.  Vimeiro.  Uma massagem.  Cheirinho a casa limpa.  Golo de Portugal. O Guadiana.  Orgasmo.  Ver o pôr-do-sol sabendo k ele nasce noutro sítio ao mesmo tempo.  Amamentar.  O céu azul.  Noite quente à beira Tejo.  Papoilas.  Cheiro a maresia.  Sardinhas assadas.  Alcançar.  O brilho do sol reflectido na água.  Gaivotas.  Fazer amor na praia.  O cheirinho k fica na roupa dela .  Acordar.  Fazer "Koys" enroscadinha a ela debaixo do edredon.  Cataplana de Lagosta.  A minha filha bébé adormecer sobre o meu peito enkto mexia na mha orelha.  Lua Cheia.  Panquecas às 3 da manhã.  O Cristo Rei.  O cheiro da pele depois de fazer amor.  A casca do pessego.  A "minha" estrela.  O toke. Pistacios.  Correr com ela na praia.  As boas conversas.  Girassóis.  Concertos dos Bon Jovi. Chorar até tirar o peso do peito.  Cantar.  Coca-cola.  Rezar.  Guincho. Todas as "Good Nights".  Margarita de morango a meio da tarde na esplanada do Siesta.  Frio na barriga. Orgulho.   Dormir numa cama feita de lavado.  Beijo com língua.  Golo do Benfica.  Uma garrafa de Grandjó geladinha.  A primavera no Alentejo.  Lareira.  Póvoa Dão.  Voar.  A carta certa num jogo de Poker.  Jantar à luz das velas.  Caracóis.  Ganhar no último minuto.  Uma viola, uns acordes e amigos. Beijos no pescoço.  O 1º "Mamã".  Ver a balança a baixar.  Um cigarro ao luar.  Cheirar protector solar no Inverno.  Bolas de sabão. Fazer mergulho.  Trovoada de Verão numa noite à beira mar.  O 1º beijo.  Banho de espuma e pétalas, música certa e luz de velas. Dormir a sesta.  Lisboa à noite vista do ar.  Ramos de rosas.  Ferreira.  O sabor da água salgada na pele.  Ouvi.la cantar a plenos pulmões quando vai à pendura na mota. O vôo da cegonha.  Os jogos em "Miami Beach".  APRENDER.

 

 

 

blog1