Sábado, 30 de Abril de 2011

Um dia tipicamente ANORMAL

Começou como todos os outros. Deixei a miuda na escola e fui trabalhar.

Última sexta do mês, dia de almoço no Sushi. Até aki, tudo bem.

Assim k saio do sushi, um céu cinza escuro tinha tomado lugar lá em cima... "Oh shit!! Chuva hj n dava jeito nenhum"

Segui para mais trabalho, desta vez na zona de Alcantara.

Eskeço uma pen no carro e kdo volto para a buscar fico retida, no carro, debaixo de chuva torrencial. Acabo por decidir enfrentar a chuva recorrendo ao guarda chuva. Chego completamente encharcada mas em 5 minutos vejo k foi o melhor k fiz. As rodas do carro já começam a desaparecer e vejo um senhor a atravessar a estrada com as calças arregaçadas até ao joelho, os sapatos e meias nas mãos e a transportar a esposa às cavalitas. Rezo aos santinhos pelo meu carrinho mas a chuva pára e dá-me esperança.

Recebo um tlf de uma amiga cuja filha frekuenta o mesmo colégio que a mha filha. A voz está um bocado histérica. Diz.me k as estradas estão cortadas em Benfica. Não consegue ir buscar a filha dela. Digo que é dia da mha filha ir p o pai e k estou a trabalhar.

Acabo o trabalho. Saio e na rua as coisas estão bem mais calmas apesar dos relatos de presença, no Largo de Alcantara, de tainhas do Tejo (vivas) saídas pelas bocas de esgoto.

Rumo a casa.

No caminho, outra chamada. Outra amiga a perguntar se estou bem. Errr... Estou... Nas pk??

Relato resumido da ocorrência de um fenómeno na minha zona.

Ligo p o pai e ela atende. A voz é muito assustada. Começo a achar que não tenho a mais pequena noção do que se passou. Quando falo com o pai fico a saber k houve 2 pequenas derrocadas na escola dela e até um pekeno incêndio. 2 crianças foram para o Hospital e a escola estará fechada na 2ª e 3ªf, pelo menos. Sinto um BAK cá dentro k kuase me pára o coração.

A vontade é ir ter com ela mas, sei k n faz mto sentido. Dou Graças a Deus por ela estar bem e já em segurança com o pai, rumo a casa e ligo-lhe mais 3 vezes até senti-la calma outra vez.

O trânsito vai-se transformando progressivamente em caos e por onde tento fugir só me deparo com carros e mais carros, parados.

Acessos a casa cortados. Voltas e voltas até que consigo chegar muito próximo mas encontro mais uma estrada cortada. A razão?? Esta

 

Ok!! Foi mesmo grave...

Nesta altura só quero chegar a casa.

Chego ao meu bairro e nem acredito no que vejo

 

 

Assim que cheguei, só pensei em pegar na mákina fotográfica e ir pá rua tirar fotos.

E como poderia eu melhorar este cenário de uma forma muito a la Estrunfina???

 

Pois clarooooooooooo, levei a chave do carro em vez da chave de casa e fikei sem maneira de voltar a entrar.

E quem lê isto pensa: "Ohh... alguém deve ter uma chave extra." Sim, é verdade, mas da maneira que estava o trânsito era impossível ir buscá-las ou virem-mas trazer e, tendo em conta k o tlm tb tinha ficado em casa, nem sequer conseguia avisar ninguém.

A segunda hipótese, era chamar os bombeiros para... ahahahahaahhahahaa....kuais bombeiros?!?!?!?

 

Abençoados os meus alunos que me ensinam quase tanto como eu a eles e lá tive eu que arrombar a minha porta mais uma vez. As minhas vizinhas ficam sempre com um ar incrédulo e estupefacto e eu só rezo para nunca arrombarem nenhuma casa aqui no prédio porque não estou lá muito bem cotada nesta zona.

 

As imagens dos noticiários dizem quase tudo o que falta mas, e tendo em conta que ninguém se magoou (espero k os putos da escola da M tb estejam bem) e que tudo acabou em bem (pelo menos para nós) este episódio criou memórias fabulosas e imagens que nunca pensei serem possíveis e que nunca esquecerei.

 

Pena não ser Natal e não ter podido fazer uma luta de bolas com a minha filha.

 

Nina, new version

 

I'm dreaming of a white Spring!

 

PS - Sim, eu tinha uma roupinha estendida o que fez com que, kdo saí à noite p ir trabalhar, encontrasse uma meia minha junto à paragem da camioneta.

: White Christmas
Estrunfina às 10:29
Link | Comentar AKI

Últimas Estrunfinices

OBRIGADA!!!

Por fin...

Catarse!!!

Nem mais!

Há coisas do caraitas!!!

4655 Dias de TI

RESPECT!!

A primeira aula da manhã

Suspiro FUNDO

Quer-me cá parecer que...

Baú das Estrunfinices

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Aldeia dos Estrunfes

O Divino em MIM

 

A MINHA FILHA.  O calor do sol a keimar o corpo num dia de praia. Um mergulho de mar ao luar.  Os sorrisos.  Morangoska granizada. Akela música, no momento certo.  Andar descalça sobre a relva.  O cheiro da terra molhada.  Dream Team Forever Marés vivas num dia de Inverno.  O nascer de um novo dia.   Akele olhar.  Chamusca.  Pego Escuro. Correr na praia e espantar as gaivotas.  Um sussurro k faz bater forte o coração.  O suspiro da minha filha kdo dorme.  A saudade. Gargalhadas.  A gargalhada dela.  Licores.  Avistar Lisboa da Ponte 25 de Abril.  Gelado de Dolce de Leche.  Os ABRAÇOS k transbordam a alma.  O microfone. Quando os meus alunos "Conseguem".  Andar de mão dada. Cócegas.  "AMO-TE".  Petiscadas.  A atracção.  Ilha deserta.  Sentir a minha filha dentro de mim.  Dançar.  Pasteis de Nata.  O carinho de ex-alunos. O silêncio.  O céu estrelado de uma noite quente no Alentejo.  As minis à varanda, a ver o mar. DREAM TEAM FOREVER.  O carinho da família.  Banho de mar "em pêlo".  As bolachas da mana.  A fogueira da Praia Verde.  Ver a minha filha aprender algo novo. Porto Novo.  Rir até chorar. Serra de Sintra.  Os primeiros passinhos.  Ver raios de sol "furarem" o céu nublado.  AMIG@S.  Ouvir o bater do coração.  Olhar nos olhos.  Vimeiro.  Uma massagem.  Cheirinho a casa limpa.  Golo de Portugal. O Guadiana.  Orgasmo.  Ver o pôr-do-sol sabendo k ele nasce noutro sítio ao mesmo tempo.  Amamentar.  O céu azul.  Noite quente à beira Tejo.  Papoilas.  Cheiro a maresia.  Sardinhas assadas.  Alcançar.  O brilho do sol reflectido na água.  Gaivotas.  Fazer amor na praia.  O cheirinho k fica na roupa dela .  Acordar.  Fazer "Koys" enroscadinha a ela debaixo do edredon.  Cataplana de Lagosta.  A minha filha bébé adormecer sobre o meu peito enkto mexia na mha orelha.  Lua Cheia.  Panquecas às 3 da manhã.  O Cristo Rei.  O cheiro da pele depois de fazer amor.  A casca do pessego.  A "minha" estrela.  O toke. Pistacios.  Correr com ela na praia.  As boas conversas.  Girassóis.  Concertos dos Bon Jovi. Chorar até tirar o peso do peito.  Cantar.  Coca-cola.  Rezar.  Guincho. Todas as "Good Nights".  Margarita de morango a meio da tarde na esplanada do Siesta.  Frio na barriga. Orgulho.   Dormir numa cama feita de lavado.  Beijo com língua.  Golo do Benfica.  Uma garrafa de Grandjó geladinha.  A primavera no Alentejo.  Lareira.  Póvoa Dão.  Voar.  A carta certa num jogo de Poker.  Jantar à luz das velas.  Caracóis.  Ganhar no último minuto.  Uma viola, uns acordes e amigos. Beijos no pescoço.  O 1º "Mamã".  Ver a balança a baixar.  Um cigarro ao luar.  Cheirar protector solar no Inverno.  Bolas de sabão. Fazer mergulho.  Trovoada de Verão numa noite à beira mar.  O 1º beijo.  Banho de espuma e pétalas, música certa e luz de velas. Dormir a sesta.  Lisboa à noite vista do ar.  Ramos de rosas.  Ferreira.  O sabor da água salgada na pele.  Ouvi.la cantar a plenos pulmões quando vai à pendura na mota. O vôo da cegonha.  Os jogos em "Miami Beach".  APRENDER.

 

 

 

blog1