My Moments
Loading...
Click here to create your own QuitSmokingCounter.com
Quarta-feira, 28 de Novembro de 2012

Opahh assim n dá!!!!

Pérolas ao estudarmos para o teste de Língua Portuguesa

 

Palavra da família de VIDRO:

(Pista - local de recolha de vidro para reciclar aka Vidrão)

 

R: Ecoponto Verde

 

Estrunfina às 18:54
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)
Terça-feira, 27 de Novembro de 2012

Como arruinar uma infância

O título é sugestivo.

O conteúdo é discutível.

1 semana depois da cirurgia só tinha estado cerca de 2 horas com a mha filha. 2 breves visitas promovidas pelo pai e pela tia.

O facto de não conseguir andar nem conduzir, fez com que ela tivesse que ficar em casa do pai e fez com k a prioridade máxima da recuperação fosse, conseguir conduzir. E assim foi. 1 semana depois da operação ensaiei a primeira tentativa e fui bem sucedida e assim a filha voltou p casa, p descanso dos nossos pobres corações.

Infelizmente, houve algumas complicações no pós-operatório e ontem, kdo fui fazer o penso tive uma experiência nada agradável k envolveu uma palavra k, à semelhança do Voldemort, passou a ser impronunciável por estas bandas. Ficará eternamente conhecida como "a palavra que começa por D acaba em R e no meio tem as letras RENA".

Após esta experiência regressei a casa bastante combalida o que a deixou um bocado aflita.

Quando já me estava a sentir melhor e, enkto ela me prometia ajudar-me em tudo o k eu precisasse, disse-lhe:

 

Obrigada filha. És a melhor filha do Mundo. Preciso mesmo da tua ajuda.

Preciso k me ajudes a limpar o rabo kdo for à casa de banho sff.

 

 

E foi mais ou menos isto!!

Abençoado sentido de humor k raramente me abandona.

: Chris Brown ft Justin Bieber - Next 2 You
Estrunfina às 15:19
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)

Verdades Minhas

Estrunfina às 12:56
Link | Comentar AKI

Eu quero mais é beijar na boca

Ontem uma miúda de caracóis por quem tenho apreço levantou uma questão pertinente que se prendia com o facto de existirem pais que beijam os filhos na boca, demonstrando estranheza e incompreensão.

Sabendo eu que ela não tem filhos e sabendo tb que mesmo junto dos pais, não é uma questão consensual, tentei dar a mha visão das coisas. Mas fiquei a matutar sobre o assunto (e isso é das coisas que mais gosto).

Para quem não é pai ou mãe é uma questão automaticamente incompreensível.

Dentro dos que o são e não compreendem acho que tem a ver com vários fatores, nomeada e essencialmente, a educação que tiveram e o tipo de relacionamento que têm com os filhos.

Para mim, um xoxinho da mha filha é das coisas mais deliciosas k pode haver no Mundo. É um momento de intimidade, carinho e pureza k me conforta a mim e, aparentemente, a ela pk toma mtas vezes essa iniciativa.

Não é um hábito muito frequente ente nós mas, acontece.

Claro está k houve aquela altura em k lhe foi explicado, há já alguns anos, k esse tipo de beijos eram da exclusividade do pai e da mãe e é o k acontece hoje em dia e houve até a altura em k as novelas falaram mais alto e houve a necessidade de explicar k esses beijos só os crescidos é k davam aos namorados.

Estive a ler e a ouvir opiniões sobre o assunto e faz-me muita confusão a conotação sexual atribuida por diversas vezes ao xoxinho nos lábios de um filho. Beijar, abraçar um filho é algo primário, instintivo. Eu n consigo explicar pk o faço. Faço-o pk tive o instinto de o fazer e, se há coisa k aprendi nesta vida foi a seguir o meu instinto de mãe.

Talvez com o crescimento dela esse hábito caia. N sei.

Não me custa a divergência de opiniões mas custam-me as opiniões pouco ou nada fundamentadas e as opiniões demasiada teóricas e freudianas p uma coisa tão simples e pura como um chuak quando depois, deixam as suas caras e bocas serem lambidas alarvemente por um cachorro sem k isso já n seja um problema.

 

 

Estrunfina às 09:37
Link | Comentar AKI
Domingo, 25 de Novembro de 2012

Uma parte de mim

No doubt about it!

Há dias em k custa horrores. O frio, o cansaço, a chuva, o mood...

Mas inegavelmente é uma parte de mim. Realiza-me, dá-me felicidade e fico extasiada por, um pouco sem saber mto bem como, ter tido esta benção na mha vida.

 

 

Estrunfina às 13:37
Link | Comentar AKI
Sábado, 24 de Novembro de 2012

Nostagic & Melancholic

 

Rais parta o frio, a chuva e as hormonas

: Fingertips - Melancholic Ballad
Estrunfina às 09:42
Link | Comentar AKI

Frio & Crise

A conjugação destas 2 coisas fez com k ontem fosse p a cama às 8 da noite com o sakinho de água kente ao invés de ligar o aquecedor.

Talvez seja esta a receita p o país sair da crise. Tanto tempo na cama poderá contribuir p um aumento da natalidade.

 

 

Se bem k tb pode aumentar a taxa de divórcio por incumprimento dos deveres conjugais.

Estrunfina às 09:21
Link | Comentar AKI
Terça-feira, 20 de Novembro de 2012

SEMPRE ÚTIL

Estrunfina às 08:54
Link | Comentar AKI

TPM Paneleira...

...é o mais provável

 

Dam "Notebook"

 

 

: Christina Perry - A Thousand Miles
Estrunfina às 08:46
Link | Comentar AKI
Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012

Em modo menino Jesus

Nas palhas deitada, nas palhas estendida.

As vantagens??

Desvantagens??
Começo a ter calo em zonas onde n devia.

Estrunfina às 23:49
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (2)
Domingo, 18 de Novembro de 2012

That's it

Estrunfina às 20:28
Link | Comentar AKI

O (desconhecido) Universo da Sedução

Eis k vou falar de um tópico k me passa completamente ao lado - a sedução feminina.

Na lista das mhas características naturais, se fosse eu a avaliar-me, diria que este item viria num dos 10 últimos. Não digo k n possa ser sedutora se isso desejar mas, n me é natural. Não flui, não penso, não ajo de acordo com os parâmetros habituais do que a maioria das pessoas entende por: sensualidade feminina.

Agora que uma horde de leitores abandonou esta página e ficaram mesmo os habituais 3 leitores, com os já conhecidos distúrbios psiquiátricos, continuarei.

Para mim, a roupa confortável ganha sempre aos pontos à roupa sensual e logo aí quase tudo cai por terra e quase nada no mundo, me convence nos dias de hoje a calçar saltos em vez de ténis, crocs, chinelos ou, no Inverno, botas tipo hugs. Posto isto, a sensualidade e sedução estão praticamente reduzidas a pó.

Claro está que, caso me interesse mesmo muito por alguém, sou capaz um olhar mais intenso ou um sorriso mais babado, e sou até capaz de dar umas risadinhas e de mexer no cabelo mas, a verdade, verdadeira, é que, quando estou interessada em alguém, fico parva e, basicamente n estou a seduzir, estou mesmo a ser parva e não me consigo controlar.

Isto tudo para chegar ao quê?? Para chegar ao facto de que a ideia de k existem pessoas k n estão ligadas à indústria do sexo, que se servem dos seus atributos para alcançar outros objectivos que não encontrar um parceiro/parceira é-me um pouco "unfamiliar" (ler em inglês ké p n parecer k eu inventei uma palavra nova - n k fosse novidade por estas bandas).

Uma das vantagens de se ter um "bocadinho" de peso a mais é o decote. Com um sutien e camisola apropriadas até eu dou por mim a reparar no meu decote ao espelho, o k faz com k logo de seguida tenha k me esbofetear a mim prórpia pela falta de decoro.

Em Setembro, kdo fui à mha consulta pré-operatória  quiz o destino k esses 2 factores se combinassem e eu descobrisse k bastava isso p que todo um universo de "gajos" passasse a nutrir uma simpatia pela minha pessoa. Primeiro achei que era da minha cabeça mas tive k concluir k n (com pena minha, confesso, porque foi um perfeito desconsolo perceber k os Homens são maioritaria e basicamente uns BANANAS). Eu tive kem me abrisse e segurasse nas portas p eu passar, cederam-me o lugar para me sentar por diversas vezes, eu tive rasgados sorrisos acompanhando efusivos cumprimentos de "Bom Dia!!", houve de tudo. Concluí que a vida seria mto mais fácil p os decotes generosos, desde que (SIM, DESDE QUE) o Universo fosse maioritariamente masculino. Pk ao mesmo tempo k descobri isto, descobri k as gajas detestam  decotes generosos nas outras mulheres. Provavelmente é inveja mas k elas ficam umas boas cabras, ficam. No entanto, isso é rapidamente colmatado por mais um babaca k nos sorri do canto da sala.

Ora, n sendo eu dada a estas coisas, e sendo esta situação um bocado resultado do meu aumento de peso k fez com k a camisola encolhesse mais um bocado do k da última vez k a tinha vestido, este foi kuase uma experiência tipo "National Geographic Channell".

O ponto alto foi mesmo a consulta com o Dr. k, supostamente me iria operar e k se desdobrou em milhentos elogios ao meu olhar intenso, ao meu look exótico, ao meu sorriso deslumbrante, etc, etc, etc....

E pk estou eu a falar disto agora???

Pk o mesmo gajo k kuase se babou em cima de mim da úlitma vez e k foi de uma simpatia extrema, passou por mim no corredor da Cirurgia B enkto eu aguardava a mha alta, vestindo as mhas calças largas, a mha sweat e calçando as mhas botas tipo Hug e após uma coisa k me pareceu um sorriso, mas k n tenho a certeza se ele n estaria a tentar tirar kk coisa dos dentes, e uma palmadinha no braço, seguiu à vida dele sem demora.

Antes de sair, ainda me deparei com outras 2 situações que envolveram médicos e akilo k me pareceram ser delegadas de propaganda médica mas por kem nunca na vida poría as mãos no fogo. Assim sendo fikei a divagar  sobre este universo da sensualidade e da sedução feminina e eu acho k esta coisa de apelar à inteligência e ao sentido de humor é mto bonita mas, a verdade, verdadinha é que, bottom line, o k importa são as mamas e prova disso é k, o simples facto de escrever a palavra "mamas" neste blog, me irá aumentar certamente o nº de visitas.

 

 

E agora com esta foto fiz com k gajo nenhum e muitas gajas n lessem seker o post e ficassem só a olhar p a moça k, bem podia ser uma delegada de propaganda médica de sucesso.

 Estamos em crise e em tempos de crise não se limpam armas, aumenta-se o decote.

: I'm Too Sexy - Right Said Fred
Estrunfina às 10:02
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)
Sábado, 17 de Novembro de 2012

:o)

And then you came and rescued me. And I'm ok...I'M OK!

 

Estrunfina às 10:17
Link | Comentar AKI
Sexta-feira, 16 de Novembro de 2012

Dá que pensar

PAIS HERÓIS


Por Inês Teotónio Pereira

A grande prova de maturidade de um pai é quando ele aceita o filho tal como ele é. É nessa altura que ele se torna plenamente pai. Daqueles pais que quase só existem nos filmes da Disney, ou que vimos de tempos em tempos num restaurante e ficamos pasmados a olhar. Os pais que assumem e aceitam que o filho, antes de ser seu filho, é uma pessoa independente dele, absolutamente autónoma e que até pode ser completamente diferente deles, são os genuínos pais heróis. São o John Wayne dos pais: um homem valente, confiante, sereno, determinado e amigalhaço. Um exemplo.
Os filhos destes pais são todos felizes. São irritantemente valentes, confiantes, serenos, determinados e amigalhaços. São exactamente aquilo que querem e, quando chegam a casa, ninguém os chateia. Estão sempre irritantemente bem dispostos e de bem com a vida e com o mundo. (...)
Eu admiro imenso os pais que não se importam nada que os filhos sejam completamente diferentes deles. Por exemplo, admiro imenso aqueles pais todos certinhos e lavadinhos que não se importam nada que o filho ande na rua com os cabelos até aos pés e por lavar há dez anos, ou que tenha as orelhas e o nariz com mais furos que um passador; da mesma forma que admiro profundamente os pais janados e alternativos que não se ralam nada que o filho seja fã de badmínton e que prefira ficar a ler livros sobre o ecossistema das formigas a ir com os amigos para o Boom. (...) 
Estes pais são uma raridade. A maioria dos pais acha que os filhos são uma parte de si, tipo braços ou pernas, e a prova disso é que quando eles sofrem, nós também sofremos, e quando eles são elogiados, nós agradecemos. Eles são nossos. E ´r por serem nossos que têm de ser como nós. Se até o nariz é igual...emocionalmente, é assim. Não há nada a fazer. No filme a "Árvore da Vida" ouvi esta frase dita por um pai roído de remorsos pela sua relação com o filho: "Eu fi-lo sentir a minha vergonha." Está aqui tudo: a vergonha pelos erros, pelas diferenças, pelos defeitos do filho e a convicção de que ele tem de conhecer essa vergonha, que tem de sentir essa vergonha para se corrigir. Tipo castigo. A maioria dos pais é assim, com maior ou menor intensidade, todos temos em algum momento vergonha de qualquer coisa do nosso filho. E o pior é que não o escondemos. E passamos esse fardo para as costas deles. Sem piedade, com um bilhete a dizer: "Olha, corrige-te."
No dia em que os pais percebem que os defeitos e as qualidades dos filhos são deles, não são herdadas, que os sucessos e os fracassos dos filhos são pessoais e intransmissíveis e que os seus gostos são tão aleatórios quanto a cor do cabelo, começam a olhar para os filhos como pessoas e não como suas obras. Só nesse dia é que se tornam pais; até lá, somos só parvos. (...)

Estrunfina às 21:30
Link | Comentar AKI

Uma fugidinha diferente

E num abrir e fechar de olhos, a minha semana virou 180º.

Pois que fui passar uma noite a esse belo resort que é o Hospital Fernando Fonseca aka Hospital Amadora-Sintra.

Fui em regime de alojamentos e pequeno almoço e foi só isso mesmo que apanhei. 24 horas sem comer, 1 cirurgia, 1 noite mal dormida e depois um farto pequeno almoço de carcaça com manteiga e café com leite.

N é justo!!

Eu dei-lhes uma parte de mim. Queria até ter dado mais mas eles acharam que todo o meu charme e sex-appeal residiam na zona abdominal e tiraram o mínimo possível (Damn them!!). E o k recebo eu em troca????? O que recebo eu em troca de um pedaço de mim (literalmente)????? 1 carcaça, 1 café com leite... ahhhhhh e n posso esquecer da maravilhosa experiência da arrastadeira. Ohh happy day!!!!

 

O problema de toda esta minha desilusão começou logo no check in. Anos de "ER - Emergency Room", anos de "Anatomia de Grey". As expectativas são grandes. Chego lá, olho em volta e o que encontro eu??? George Clooney??? McSteamy????? Nop...

 

1ª pista que as coisas n funcionariam da mesma forma ali:

 

 

O Cajó... Anos e anos de buscas infinitas, chegando mesmo a batizar um dos pombos nascidos este ano na mha varanda com o seu nome e, finalmente, eu encontro-o a trabalhar no Amadora-Sintra.

 

Ainda nem uma hora tinha passado deste achado e eis k me surge esta visão

 

 

 

Eu sou capaz de apostar k este era akele k aparecia no anúncio do Restaurador Olex mas... agora é impossível saber!!!

 

Anyway...

 

Foi uma experiência dolorosa, passei fome mas, tirando isso, fui mto bem tratada e cuidada.

Anestesia geral mas desta vez acordei menos Grog e as semelhanças com o meu estado Marrakexe/Bangladesh foram tais que, assim que acordei, convidei toda a equipa do bloco operatório mais o pessoal de serviço no recobro a virem ao karaoke k eu oferecia os jarros de sangria.

 

 Já estou em casa. e apesar das dores, a parte k custa mais é k a filha teve k ir p casa do pai durante usn tempos. Enkto n conduzir, n a posso ir buscar nem levar à escola, logo... ela n pode ficar cmg. Isso tá a custar horrores!!

 

Próxima semana, sofá mantinha e muitos filmes!!!!! Quem quiser aparecer, tem k trazer um refeição quente e boa disposição.

Tenho tido muitos miminhos e , mais uma vez, sinto a benção de ter quem tenho na mha vida. Mas feell free to show. Inês a Marianita deve ter promoções p acamadas.

Estrunfina às 20:56
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (2)
Terça-feira, 13 de Novembro de 2012

IMPERDÍVEL - Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és

A comunicação está mais ao rubro que nunca.

Telefonemas, sms, mms, chats... Há p todos os gostos.

Acabo de ter a comunicação mais surreal e divertida da minha existência

Para quem tiver paciência (e posso garantir uns momentos bem divertidos) fica a "conversa" tida no chat do FB

 

Estrunfina às 10:15
Link | Comentar AKI

Impressionante!!!

Há tanta gente a sofrer por amor enquanto finge ser feliz. 

 

 

Just one life... k desperdício!

Estrunfina às 00:39
Link | Comentar AKI
Sábado, 10 de Novembro de 2012

Pequenos (Grandes) Nadas

Fiz Tarte de Maçã.....

Estrunfina às 20:25
Link | Comentar AKI
Sexta-feira, 9 de Novembro de 2012

Branco é. Galinha o põe.

Sou uma cliente fiel das entregas ao domicílio do Continente.

Morar num 4º andar sem elevador faz com que as palavras entrega e domicílio na mesma frase tenham um som angelical.

Anyway, a experiência ensinou-me que o mais aconselhável é trazer sempre os ovos comigo, pk frequentemente apareciam partidos.

Ora isso tornou-se uma decisão automática na hora de pagar.

Nas últimas compras, mais do mesmo. Compras encaixotadas para posterior entrega e os ovinhos no saco p trazer p casa.

Tudo jóia até chegar ao parque de estacionamento e ficar com os ovos na mão e o olhar incrédulo em jeito de Dahhhhhh. Nada a fazer. Too late!!

Só me restava guardar os ovos e rezar.

 

 

Embora ainda n estivesse colocada nesta foto, a mha menina possui uma top case ké como kem diz uma caixinha tipo entrega de pizzas na parte de trás. E foi lá k decidi guardar as 2 dúzias de ovos enkto lhes encomendava a alma ao senhor.

Assim k passei na primeira lomba tive a certeza, a aventura n ía correr bem.

Resumindo, dos 24 chegaram 13 intactos e 3 rachados k ainda se aproveitaram. 

Conclusão: Deixai os senhores das entregas ao domicílio partirem uns ktos pk eles nunca conseguiram partir 8 ovos de uma acentada.

 

Estrunfina às 20:47
Link | Comentar AKI
Quarta-feira, 7 de Novembro de 2012

Coisas do coração

O 28 de Outubro trouxe o 75º aniversário do meu pai.

O meu pai a quem foi traçado um prognóstico mto negro há mais de 10 anos atrás. 

Foi dele k herdei o sentido de humor e por isso, sempre na brincadeira, atiro-lhe sempre que ele já esgotou o plafond dele há uma data de tempo e k já deve anos à casa. E ele ri-se sempre. 

Uma relação estranha, a nossa. Mas porreta.

E pela primeira vez na minha vida, o meu pai pediu-me no dia do seu 75º aniversário k cantasse p ele. E eu cantei. E os olhos dos 2 ficaram húmidos e eu cantei o resto da música de olhos fechados p conseguir terminá-la. E foi bom. E foi muito bom.

 

Estrunfina às 23:47
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (2)

Creative Commons License
Estrunfinices by Estrunfina is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Últimas Estrunfinices

OBRIGADA!!!

Por fin...

Catarse!!!

Nem mais!

Há coisas do caraitas!!!

4655 Dias de TI

RESPECT!!

A primeira aula da manhã

Suspiro FUNDO

Quer-me cá parecer que...

Baú das Estrunfinices

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Aldeia dos Estrunfes

O Divino em MIM

 

A MINHA FILHA.  O calor do sol a keimar o corpo num dia de praia. Um mergulho de mar ao luar.  Os sorrisos.  Morangoska granizada. Akela música, no momento certo.  Andar descalça sobre a relva.  O cheiro da terra molhada.  Dream Team Forever Marés vivas num dia de Inverno.  O nascer de um novo dia.   Akele olhar.  Chamusca.  Pego Escuro. Correr na praia e espantar as gaivotas.  Um sussurro k faz bater forte o coração.  O suspiro da minha filha kdo dorme.  A saudade. Gargalhadas.  A gargalhada dela.  Licores.  Avistar Lisboa da Ponte 25 de Abril.  Gelado de Dolce de Leche.  Os ABRAÇOS k transbordam a alma.  O microfone. Quando os meus alunos "Conseguem".  Andar de mão dada. Cócegas.  "AMO-TE".  Petiscadas.  A atracção.  Ilha deserta.  Sentir a minha filha dentro de mim.  Dançar.  Pasteis de Nata.  O carinho de ex-alunos. O silêncio.  O céu estrelado de uma noite quente no Alentejo.  As minis à varanda, a ver o mar. DREAM TEAM FOREVER.  O carinho da família.  Banho de mar "em pêlo".  As bolachas da mana.  A fogueira da Praia Verde.  Ver a minha filha aprender algo novo. Porto Novo.  Rir até chorar. Serra de Sintra.  Os primeiros passinhos.  Ver raios de sol "furarem" o céu nublado.  AMIG@S.  Ouvir o bater do coração.  Olhar nos olhos.  Vimeiro.  Uma massagem.  Cheirinho a casa limpa.  Golo de Portugal. O Guadiana.  Orgasmo.  Ver o pôr-do-sol sabendo k ele nasce noutro sítio ao mesmo tempo.  Amamentar.  O céu azul.  Noite quente à beira Tejo.  Papoilas.  Cheiro a maresia.  Sardinhas assadas.  Alcançar.  O brilho do sol reflectido na água.  Gaivotas.  Fazer amor na praia.  O cheirinho k fica na roupa dela .  Acordar.  Fazer "Koys" enroscadinha a ela debaixo do edredon.  Cataplana de Lagosta.  A minha filha bébé adormecer sobre o meu peito enkto mexia na mha orelha.  Lua Cheia.  Panquecas às 3 da manhã.  O Cristo Rei.  O cheiro da pele depois de fazer amor.  A casca do pessego.  A "minha" estrela.  O toke. Pistacios.  Correr com ela na praia.  As boas conversas.  Girassóis.  Concertos dos Bon Jovi. Chorar até tirar o peso do peito.  Cantar.  Coca-cola.  Rezar.  Guincho. Todas as "Good Nights".  Margarita de morango a meio da tarde na esplanada do Siesta.  Frio na barriga. Orgulho.   Dormir numa cama feita de lavado.  Beijo com língua.  Golo do Benfica.  Uma garrafa de Grandjó geladinha.  A primavera no Alentejo.  Lareira.  Póvoa Dão.  Voar.  A carta certa num jogo de Poker.  Jantar à luz das velas.  Caracóis.  Ganhar no último minuto.  Uma viola, uns acordes e amigos. Beijos no pescoço.  O 1º "Mamã".  Ver a balança a baixar.  Um cigarro ao luar.  Cheirar protector solar no Inverno.  Bolas de sabão. Fazer mergulho.  Trovoada de Verão numa noite à beira mar.  O 1º beijo.  Banho de espuma e pétalas, música certa e luz de velas. Dormir a sesta.  Lisboa à noite vista do ar.  Ramos de rosas.  Ferreira.  O sabor da água salgada na pele.  Ouvi.la cantar a plenos pulmões quando vai à pendura na mota. O vôo da cegonha.  Os jogos em "Miami Beach".  APRENDER.

 

 

 

blog1