My Moments
Loading...
Click here to create your own QuitSmokingCounter.com
Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2011

Prognóstico MUITO Reservado

Oh mãeeeeeeeeeeeeeeeeeeee...

 

 

 

 

 

 

 

....já sei escrever CU!!!

 

 

 

 

Agora já posso escrever: "A mãe tem um cu bonito"

 

Estrunfina às 21:46
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (2)
Sábado, 29 de Janeiro de 2011

Searching MY way

Estrunfina às 17:17
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (3)

...

I'm sorry

Estrunfina às 12:36
Link | Comentar AKI
Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

Brilhante!!

Nem seker vou falar do timming... Para k??  

 

ELOGIO AO AMOR - Miguel Esteves Cardoso 

 

Quero fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado.

Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.

Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.

Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.

Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá tudo bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?

O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental". Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não dá para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.

Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir.

A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.

 

Estrunfina às 19:06
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (3)

...

"Take love, multiply it by infinity and take it to the depths of forever.. and you still have only a glimpse of how I feel for you."

 

Brad Pitt in Meet Joe Black

 

 

Estrunfina às 10:42
Link | Comentar AKI
Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2011

E se de repente...

...um problema não tiver solução. Isso é o k???

 

Estrunfina às 02:06
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)
Terça-feira, 25 de Janeiro de 2011

Mais uma voltinha mais uma viagem

A vida reserva-me constantes surpresas como se quisesses provar-me sistematicamente o quanto eu sou insignificante nesta coisa toda que é VIVER!

 

 

E fico assim, pequenina, em frente às ondas.

Estrunfina às 13:33
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)
Domingo, 23 de Janeiro de 2011

...

Alive... Stop

Kidzania...filha...amigas...Stop

Cama... posição fetal... auto-embalando-me...Stop

Possivel tratamento psikiátrico para recuperação... Stop

Fui... Stop

 

Estrunfina às 00:11
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)
Sábado, 22 de Janeiro de 2011

Ohh shit...

Not again!

Estrunfina às 11:58
Link | Comentar AKI
Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2011

Tudo passa, tudo sempre passará

A vida vem em ondas como o mar...

 

Mas umas são maiores que outras.

 

Obrigada!

 

Ouvindo: Lulu Santos - Como uma onda

Estrunfina às 11:37
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (1)
Terça-feira, 18 de Janeiro de 2011

Quem mais??

A coisa começou no banho, com uma divagação sobre o facto de eu ainda ter mamilos se já n ía ter mais filhos.

Respondi.lhe k ainda os tinha pk eles n tinham caído depois dela ter deixado de mamar.

Corta-os!! - Foi a solução apresentada.

Depois de lhe explicar k gostava de me ver com mamilos e k, se me saísse o euromilhões gostava de ter mais um filho, ela começou a divagar sobre mim, o Messi e o Cristiano Ronaldo referindo-se ao facto de termos relações "sexu males" para fazer bébés. Passou então de imediato a explicar que era o mesmo que "fazer sexo, mas mal".

 

O mais estranho disto tudo é que eu só pensei:

 

O Messi?!?!?!?!?!

 

Estrunfina às 22:06
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (3)

Ainda a vizinhança

Mais um problema se levanta.

Deixaram-me aki o livro de actas p assinar e agora tenho k o passar à vizinha do lado.

Já tive com o dedo colado na campainha, já kuase mandei  porta abaixo com tanta cacetada k lhe dei mas, e apesar de ouvir a Tv ligada em altos berros e saber que ela está em casa, ela não me ouve.

 

Estrunfina às 21:30
Link | Comentar AKI

À medida que o tempo passa...

...sinto-me a ficar mais crua??

Isto faz-me pensar que a minha velhice pode mto bem ser isto

 

Estrunfina às 14:52
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (6)

A Reunião de Condomínio

E lá se passou mais uma dos momentos altos do meu ano.

Ontem, pelas 21h, lá fomos todos. Este ano calhou na casa da vizinha do 2º Dto.

Moro neste prédio desde que nasci. Um prédio com 4 andares, 2 habitações por piso,  em que apenas um dos inquilinos se mudou para cá depois de mim. Resumindo: à excepção dos meus colegas de liceu k moram no andar de baixo, isto tá infestado com carcaças. Por um lado é bom. É o único sitio onde ainda me tratam como uma miuda. Pudera... toda aquela gente me viu nascer. Foi até com o vizinho do R/C k o meu pai apanhou uma valente cardina no dia em k nasci.

Adiante...

Com o passar dos anos, as minhas reuniões de condomínio foram ficando completamente geriátricas. E acabo sempre por me sentir dentro de um episódio da Twilight Zone ou do Twin Peaks em k tudo é demasiado irreal.

Uma das características que parece afectar uma grande maioria dos meus vizinhos é a falta de audição. Basicamente, mais de 50% dos presentes ouve mal.

Ora disto resulta o quê??

Resulta que falamos continuamente no mesmo assunto a reunião toda.

Vejamos, o assunto começa a ser discutido numa ponta da sala. Ontem por exº foi, kto ganhava a funcionária responsável pela limpeza das escadas. Já ele vai a meio quando alguém, que está ao lado de quem iniciou a conversa pergunta: Mas quanto é que a senhora recebe?? Eu, a minha vizinha de baixo ou a do 2º esquerdo (que apesar de já não ser nova ainda está plena das suas faculdades) respondemos. E quando respondemos, outra pessoa k tb n ouve bem volta a perguntar: Mas quanto é que ganha, afinal a senhora da escada??

Voltamos a responder. Mas entretanto, noutro ponto da sala, alguém só ouviu a palavra escada e decide avançar: Eu gostava de saber quanto ganha a senhora da escada.

Entretanto, aquilo vai rodando até que chega novamente à pessoa que fez a primeira pergunta, que normalmente,mais cedo ou mais tarde, pergunta: Então mas não estava já decidido que a senhora ía ganhar.... ganhar....kto é que ela ía ganhar??

 

 

And here we go again....

Estrunfina às 10:12
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (2)
Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2011

Esta minha veia lúdica...

 

Basicamente é... passa ao outro e não ao mesmo.

 

Estrunfina às 13:47
Link | Comentar AKI
Domingo, 16 de Janeiro de 2011

Firme

Este chega em jeito de abraço a mim própria. De colo meu para mim.

Hoje, sinto-me crescida.

Hoje sinto que subi mais uns degraus na minha escada.

Os acontecimentos são inevitáveis e mais não posso fazer do que lidar com eles.

Em tempos, a espontaneadade e a precepitação teríam comandado tudo.

Estou mais crescida, sem dúvida e, embora mais velha, nem sempre se cresce como ser humano.

Num momento de clarividência, vi hoje o quanto cresci e por isso, hoje não falo do orgulho de ser mãe, hoje falo aqui do orgulho de ser quem SOU. Porque as batalhas travadas foram duras, longas e, particularmente árduas em muitos casos - não fossem por issso batalhas.

Muitas mais virão. Algumas, já se avistam.

Mas hoje, nesta manhã de domingo nublado, venho lembrar a mim própria o quanto sou forte.

Hoje não preciso de faróis. EU SOU O MEU FAROL!!

 

Estrunfina às 10:05
Link | Comentar AKI | Ver Comentários (2)
Sábado, 15 de Janeiro de 2011

Olha k porra!!

Blokearam-me o acesso ao MSN devido a "violação da política de privacidade"

Whata Hell?!?!?!?!

 

Estrunfina às 15:40
Link | Comentar AKI

Coisas que (ainda) me fazem dar uma gargalhada

Abrir o Sapo e ler:

 

 "Sou um homem do povo" - Diz Cavaco Silva

Estrunfina às 10:40
Link | Comentar AKI

Digno de registo

Finalmente ficou claro porque é que o Tony Carreira tem aquele sucesso todo.

E fico-me por aqui.

Estrunfina às 10:38
Link | Comentar AKI
Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011

Nem... nem...

É com demasiada frequência que me surgem trechos de músicas que são a personificação clara do que sinto e penso.

Posto isto...

 

 

Estrunfina às 09:29
Link | Comentar AKI

Creative Commons License
Estrunfinices by Estrunfina is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Últimas Estrunfinices

OBRIGADA!!!

Por fin...

Catarse!!!

Nem mais!

Há coisas do caraitas!!!

4655 Dias de TI

RESPECT!!

A primeira aula da manhã

Suspiro FUNDO

Quer-me cá parecer que...

Baú das Estrunfinices

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Aldeia dos Estrunfes

O Divino em MIM

 

A MINHA FILHA.  O calor do sol a keimar o corpo num dia de praia. Um mergulho de mar ao luar.  Os sorrisos.  Morangoska granizada. Akela música, no momento certo.  Andar descalça sobre a relva.  O cheiro da terra molhada.  Dream Team Forever Marés vivas num dia de Inverno.  O nascer de um novo dia.   Akele olhar.  Chamusca.  Pego Escuro. Correr na praia e espantar as gaivotas.  Um sussurro k faz bater forte o coração.  O suspiro da minha filha kdo dorme.  A saudade. Gargalhadas.  A gargalhada dela.  Licores.  Avistar Lisboa da Ponte 25 de Abril.  Gelado de Dolce de Leche.  Os ABRAÇOS k transbordam a alma.  O microfone. Quando os meus alunos "Conseguem".  Andar de mão dada. Cócegas.  "AMO-TE".  Petiscadas.  A atracção.  Ilha deserta.  Sentir a minha filha dentro de mim.  Dançar.  Pasteis de Nata.  O carinho de ex-alunos. O silêncio.  O céu estrelado de uma noite quente no Alentejo.  As minis à varanda, a ver o mar. DREAM TEAM FOREVER.  O carinho da família.  Banho de mar "em pêlo".  As bolachas da mana.  A fogueira da Praia Verde.  Ver a minha filha aprender algo novo. Porto Novo.  Rir até chorar. Serra de Sintra.  Os primeiros passinhos.  Ver raios de sol "furarem" o céu nublado.  AMIG@S.  Ouvir o bater do coração.  Olhar nos olhos.  Vimeiro.  Uma massagem.  Cheirinho a casa limpa.  Golo de Portugal. O Guadiana.  Orgasmo.  Ver o pôr-do-sol sabendo k ele nasce noutro sítio ao mesmo tempo.  Amamentar.  O céu azul.  Noite quente à beira Tejo.  Papoilas.  Cheiro a maresia.  Sardinhas assadas.  Alcançar.  O brilho do sol reflectido na água.  Gaivotas.  Fazer amor na praia.  O cheirinho k fica na roupa dela .  Acordar.  Fazer "Koys" enroscadinha a ela debaixo do edredon.  Cataplana de Lagosta.  A minha filha bébé adormecer sobre o meu peito enkto mexia na mha orelha.  Lua Cheia.  Panquecas às 3 da manhã.  O Cristo Rei.  O cheiro da pele depois de fazer amor.  A casca do pessego.  A "minha" estrela.  O toke. Pistacios.  Correr com ela na praia.  As boas conversas.  Girassóis.  Concertos dos Bon Jovi. Chorar até tirar o peso do peito.  Cantar.  Coca-cola.  Rezar.  Guincho. Todas as "Good Nights".  Margarita de morango a meio da tarde na esplanada do Siesta.  Frio na barriga. Orgulho.   Dormir numa cama feita de lavado.  Beijo com língua.  Golo do Benfica.  Uma garrafa de Grandjó geladinha.  A primavera no Alentejo.  Lareira.  Póvoa Dão.  Voar.  A carta certa num jogo de Poker.  Jantar à luz das velas.  Caracóis.  Ganhar no último minuto.  Uma viola, uns acordes e amigos. Beijos no pescoço.  O 1º "Mamã".  Ver a balança a baixar.  Um cigarro ao luar.  Cheirar protector solar no Inverno.  Bolas de sabão. Fazer mergulho.  Trovoada de Verão numa noite à beira mar.  O 1º beijo.  Banho de espuma e pétalas, música certa e luz de velas. Dormir a sesta.  Lisboa à noite vista do ar.  Ramos de rosas.  Ferreira.  O sabor da água salgada na pele.  Ouvi.la cantar a plenos pulmões quando vai à pendura na mota. O vôo da cegonha.  Os jogos em "Miami Beach".  APRENDER.

 

 

 

blog1